ENTREVISTA | Josh Bowman para a Philippine Star

Notícia publicada por Carol em Entrevistas

A Penshoppe trouxe as Filipinas o ator Josh Bowman, um dos principais membros do elenco da famosa série da ABC Revenge, na qual ele interpreta Daniel Grayson desde 2011, ao lado de Emily VanCamp, sua namorada que manteve-se distante da mídia local uma vez que a promoção é para a linha de roupas e não para a série.

Josh, que completou 26 anos no dia 4 de março, nasceu em Berkshire, Inglaterra, e é conhecido por ter tido um breve relacionamento com a falecida cantora Amy Winehouse. O pai de Josh é judeu, não é à toa que ele disse “Eu me sinto Judeu”, mesmo que sua ascendência seja uma mistura de Inglês, Irlandês e um pouco de Italiano.

Aos 18 anos, Josh sofreu dois deslocamento de ombro que o fizeram largar a carreira profissional de jogador de Rugby. Sem arrependimentos. Ele descobriu sua vocação como ator e teve sua estréia em 2007, como Dimitri na série de TV “Genie in the House”, e apareceu na série britânica “Holby City” antes de se aventurar em filmes (13 Hours, Prowl, Exteriors e Love’s Kitchen).

Em 2011, ele se juntou a série da ABC “Make It or Break It” como um ginasta. No mesmo ano, Josh foi nomeado como “Stars of Tomorrow” da Screen International. Estudou atuação no Instituto Strasberg Lee em Nova York.

Funfare fez um “um-a-um” com Josh no último sábado no Raffles Hotel em Makati City.

É a sua primeira visita aqui?

Não. Eu estive aqui no ano passado. Fomos para Palawan, que é mágico, um lugar mágico. Inacreditável! Provavelmente, o melhor lugar que eu já estive na vida. Fomos para Amanpulo. Tenho muita sorte, muita sorte de ter estado lá. Eu adoraria ver mais do país!

Você está usando uma camisa (de mangas longas) Penshoppe. Será que a marca se encaixa no seu senso de moda?

Você sabe, acho que eu tenho um tipo formal de estilo. É uma high street, mais casual.

Qual item da Penshoppe é o seu favorito?

As calças de moletom. Elas são slim-fit mas não muito apertadas, e grandes na parte de trás.

Qual foi a sua reação quando a Penshoppe lhe convidou para ser garoto propaganda?

Fiquei muito lisonjeado. Eu fiz uma pesquisa sobre a marca antes de dizer sim. A oferta veio do nada e eu acho que é um testemunho de como a série Revenge está sendo bem recebida pelo público.

Você poderia nos contar mais sobre Daniel Grayson, seu personagem em Revenge?

Bem, Daniel mudou desde a primeira temporada.

Mudou para melhor ou para pior?

Para melhor. Tem sido muito divertido porque estou me adaptando melhor agora. Eu sinto que enriqueceu o personagem que é tridimensional. Eu gosto de interpretar o cara legal, o cara bom, mas é muito mais divertido interpretar o cara mau. É um desafio maior.

O que você acha intrigante em Daniel Grayson?

Essa é uma boa pergunta, uma pergunta muito boa. (pensa um pouco) Eu diria que a dinâmica que ele tem com seus pais, seu esforço para viver de acordo com suas expectativas, e suas próprias expectativas sobre si mesmo. Acho que é o mais intrigante. Mas eu acho que cada episódio é muito desafiador, especialmente na televisão porque só vemos o que acontece no final depois de percorrer as voltas e reviravoltas de cada episódio.

Em que você é igual e diferente de Daniel Grayson?

Bem, Daniel Grayson é americano e eu sou Inglês. Ele é de um mundo diferente. Ele definitivamente tem uma vida luxuosa.

Como você?

Eu? (faz som de palavras através de seus lábios fechados) Em muitas maneiras, não. Posso me parecer com ele em certos aspectos. Como eu sou diferente de Daniel Grayson? Minha tomada de decisão é diferente da dele, que é irracional, eu não tomaria as mesmas decisões que ele. Eu diria que sou muito mais racional. Mas eu sou impulsivo. Eu também sou muito honesto e posso me parecer com ele porque ele é muito honesto, embora não tanto agora. Gosto de pensar que eu sou mais espertinho que ele.

Você pensa muito antes de chegar a uma decisão?

Às vezes sim, às vezes não. Se você me der um menu, eu vou ter tempo de pensar nele. Ou vou apenas apontar para qualquer item e dizer: ‘Quero isso!’. Eu posso ser muito indeciso.

O que você diria que foi a melhor decisão que você já fez até agora?

(Pensa muito) Provavelmente ir para a América que abriu um monte de oportunidades para mim. Eu realmente cresci nos últimos cinco anos. Eu tinha que fazer sacrifícios, e acho que isso é parte da construção do caráter. E, sim, perseguindo um sonho.

Você já encontrou?

Eu ainda estou perseguindo ele. Isso é ser um ator. Está constantemente tentando melhorar a si mesmo. É uma batalha contínua e você sente que nunca é bom o suficiente, você nunca está satisfeito.

Como a América é diferente da Inglaterra?

Bem, eu amo a América. Para mim, é um país muito livre. É cheio de oportunidades; recompensa o sacrifício. As pessoas que querem entrar em alguma coisa lá, elas podem conseguir. E isso é a melhor coisa da América. Na Inglaterra, viemos de uma sociedade um pouco mais intelectual. Você sabe, você tem que fazer isso, isso e isso para chegar até lá. Nos Estados Unidos, se você pode fazer, eu também posso!

Como todas as celebridades, você tem que estar em boa forma e bem arrumado o tempo todo. Como você faz isso? Existe alguma coisa que precisa ser melhorada?

Ah, um monte de coisas, hahahaha! A maioria das coisas. Eu tento me manter em forma e saudável. A primeira coisa que eu olho quando entro no hotel é a academia.

Como você se sente por sua carreira desportiva ter sido descartada depois de machucar o ombro?

Está tudo bem. Além de quebrar meus ombros duas vezes, eu também quebrei meu cotovelo e minha mão, desloquei várias partes do meu corpo. Eu fui derrubado e fiquei inconsciente várias vezes. Rugby é um esporte brutal; o treinamento é muito duro, como em qualquer tipo de esporte. Mas me ensinou disciplina, para ser um jogador de equipe e, você sabe, aceitar perder.

Longe do trabalho, como você gasta o seu tempo?

Eu comecei a jogar golfe recentemente. Estou obcecado por golfe. Eu jogo futebol de vez em quando, mas não tão frequentemente como eu costumava jogar. A coisa é, no meu tempo livre, eu só quero fechar a porta, relaxar e apenas ser eu mesmo. Você sabe, interpretando um personagem por muito tempo, às vezes te torna mais o personagem do que você.

Fonte: Philippine Star
Tradução: Josh Bowman Brasil